Economia do Brasil encolhe pelo 4º tri seguido, mostra BC; recuperação só na 2º metade de 2016

quarta-feira, 18 de novembro de 2015 11:41 BRST
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - A economia brasileira encerrou o terceiro trimestre com contração de 1,41 por cento, o quarto seguido de perdas num cenário de profunda recessão e que não indica melhora antes do segundo semestre de 2016.

Só em setembro, segundo o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) --espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB)-- divulgado nesta quarta-feira, houve queda de 0,50 por cento, depois de cair 0,76 por cento em agosto.

O resultado de setembro, o quarto mês seguido de perdas este ano na base mensal, foi levemente melhor do que a expectativa em pesquisa da Reuters com analistas, de queda de 0,60 por cento.

O terceiro trimestre é o quarto seguido em que o IBC-Br mostra recuo, após taxas negativas de 2,09 por cento no segundo, 1,05 por cento no primeiro e de 0,50 por cento no quarto trimestre de 2014.

"Talvez vejamos algum fôlego no segundo semestre de 2016, quando devemos sair desse vale de mercado de trabalho ruim e desaceleração da renda, e estaria mais claro qual o cenário da questão fiscal", disse a economista do banco ABC Brasil Natalia Cotarelli, para quem o PIB deve encolher 3,2 e 2 por cento em 2015 e 2016, respectivamente.

O BC ainda apontou que o IBC-Br caiu 5,85 por cento em setembro sobre o mesmo mês do ano passado, chegando à queda acumulada de 3,37 por cento no ano e de 2,73 por cento em 12 meses, sempre em números dessazonalizados.

CENÁRIO FISCAL E INDÚSTRIA   Continuação...