Cruzeiro do Sul vê nova aquisição no 1ºsemestre de 2016, diz diretor

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016 18:48 BRST
 

Por Juliana Schincariol

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Cruzeiro do Sul Educacional pretende comprar mais uma instituição de ensino até o final do primeiro semestre e vê a captação de alunos em 2016 semelhante à do ano anterior, mesmo diante de uma piora da economia brasileira.

"Nosso foco são instituições que sejam relevantes, que tenham autonomia universitária, marcas fortes e indicadores acadêmicos relevantes", disse o diretor de planejamento da Cruzeiro do Sul Educacional, Fabio Figueiredo, em entrevista à Reuters. Segundo ele, empresas com estas características e acima de 3.500 alunos são potenciais alvos para aquisição.

O executivo afirmou que a Cruzeiro do Sul mantém conversações com três ou quatro empresas e que "pode fechar talvez mais uma (aquisição) no primeiro semestre de 2016", em um ritmo de uma compra relevante por ano.

A companhia anunciou no final de novembro a compra de duas escolas e um centro universitário no Estado de São Paulo, passando a ter mais de 130 mil alunos divididos em 14 instituições de ensino, da educação infantil ao ensino superior. O valor das aquisições não foi revelado.

Com a compra do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (Ceunsp) e dos colégios Ceunsp Itu e Objetivo Salto, a empresa prevê um salto no faturamento para 1 bilhão de reais em 2016 ante 850 milhões no ano anterior.

A companhia, que tem entre seus acionistas o fundo britânico de private equity Actis, era uma das interessadas na compra dos ativos da Uniasselvi, vendidos em outubro passado pela Kroton para os gestores de fundos Carlyle e Vinci Partners por até 1,105 bilhão de reais.

Apesar da crise econômica e da redução do valor de mercado das empresas listadas em bolsa como Kroton e Estácio, o preço dos ativos não apresenta desconto, acrescentou. "Não mudou nada, ninguém baixou ou aumentou os preços", disse Figueiredo.

Em termos de crescimento orgânico, Figueiredo afirmou que os resultados até o momento mostram que é possível que a base de alunos - considerando os já existentes e novos entrantes - em 2016 seja semelhante a 2015.   Continuação...