Volume de captações de empresas brasileiras em 2015 cai para o menor nível em 7 anos

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016 19:03 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A captação de recursos nos mercados de capitais por empresas brasileiras recuou para o montante mais baixo dos últimos sete anos, para 124,8 bilhões de reais em 2015, influenciada principalmente pela acentuada retração das emissões internacionais, informou nesta segunda-feira Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

O resultado, que inclui recursos levantados por meio de instrumentos como debêntures, notas promissórias e ações nos mercados doméstico e internacional, representa uma queda de 49,7 por cento em relação a 2014, quando as captações somaram 247,9 bilhões de reais.

"O resultado é reflexo da desaceleração da atividade econômica observada ao longo do ano, assim como da elevação dos juros e da maior dificuldade de captação de recursos no mercado", afirmou a Anbima, em relatório.

A queda mais acentuada foi nas emissões internacionais, com retração de 82,3 por cento, para 8 bilhões de dólares em 2015.

No mercado local de renda fixa, as empresas brasileiras levantaram 92,7 bilhões de reais, queda de 38 por cento ante 2014, com debêntures, fundos de investimento em direitos creditórios, notas promissórias e certificados de recebíveis imobiliários.

Já no mercado de renda variável, o volume captado subiu 19 por cento sobre 2014, a 18,3 bilhões de reais. O valor inclui uma operação de 16,1 bilhões de reais de uma oferta secundária da Telefônica Brasil, em abril.

(Por Aluísio Alves)