China intensifica esforços para estabilizar iuan, mercado acionário permanece frágil

terça-feira, 12 de janeiro de 2016 10:43 BRST
 

Por Pete Sweeney e Lu Jianxin

XANGAI (Reuters) - A China intensificou seus esforços para frear as apostas contra sua moeda e tranquilizar investidores céticos, com o banco central do país definindo outra taxa firme do iuan nesta terça-feira em meio ao que operadores disseram ser agressivas compras de iuanes no exterior.

A diminuição da confiança nas autoridades chinesas tem levado ao recuo dos investidores, e expectativas de que o câmbio vai cair mais têm alargado o vão entre as taxas do iuan doméstico, estreitamente regulado, e do internacional, comercializado em Hong Kong.

O iuan teve depreciação de mais de 1 por cento desde o começo do ano, tendo perdido 4,7 por cento frente o dólar no ano passado, e o declínio acelerado levantou incertezas sobre as intenções da China acerca de sua taxa de câmbio.

Analistas disseram que as compra internacionais de iuanes por bancos estatais, sob a direção do banco central da China, secou a liquidez do iuan de tal forma que a taxa de empréstimo overnight em Hong Kong atingiu um recorde.

Como consequência, a diferença entre as taxas de câmbio doméstica e internacional do iuan evaporou momentaneamente, depois de ter ficado em mais de 2 por cento na semana passada.

Erros observados de autoridades chinesas alimentaram as preocupações nos mercados globais de que Pequim possa estar perdendo o controle sobre sua política econômica, justo no momento em que o país deve registrar o menor crescimento em 25 anos.

Os mercados acionários chineses, que despencaram 10 por cento na semana passada e mais 5 por cento na segunda feira, continuaram voláteis, entrando e saindo do território negativo. O índice de Xangai subiu 0,21 por cento enquanto o índice CSI300 fechou com valorização de 0,73 por cento.

O banco central da China controla o câmbio determinando uma taxa diária para o iuan, que pode variar em uma banda de 2 pontos percentuais para ambos os lados.

O BC chinês determinou a taxa referencial para o iuan em 6,5628 por dólar, pouco mais fraco do que a taxa anterior e mais firme do que os níveis à visa na segunda-feira.

 
Funcionário conta notas de dólar e iuan em agência do Banco da China em Taiyuan. 04/01/2016 REUTERS/Jon Woo