Vendas no varejo e produção industrial indicam crescimento mais fraco nos EUA

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016 14:22 BRST
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - As vendas no varejo nos Estados Unidos caíram em dezembro com as temperaturas quentes atípicas diminuindo as vendas de roupas de frio e com a gasolina mais barata pesando sobre as receitas dos postos de gasolina, na mais recente indicação de que o crescimento econômico teve forte desaceleração no quarto trimestre.

O quadro de crescimento foi ainda mais obscurecido por outros dados divulgados nesta sexta-feira, que mostraram uma queda na produção industrial em dezembro. Os estoques empresariais também diminuíram, registrando a maior queda em mais de quatro anos em novembro.

O Departamento do Comércio disse que as vendas no varejo recuaram 0,1 por cento em dezembro após subirem 0,4 por cento em novembro. Para o ano de 2015 como um todo, as vendas do varejo cresceram 2,1 por cento, a leitura mais fraca desde 2009, após subirem 3,9 por cento em 2014.

As vendas no varejo excluindo automóveis, gasolina, materiais de construção e serviços alimentícios caíram 0,3 por cento, após avançarem 0,5 por cento no mês anterior. O assim chamado núcleo de vendas do varejo corresponde de forma mais próxima ao componente dos gastos do consumidor no Produto Interno Bruto (PIB).

Em um relatório separado da Universidade do Michigan, seu índice de confiança do consumidor subiu para 93,3 neste mês contra a leitura de 92,6 em dezembro, mas a percepção das famílias sobre as condições atuais enfraqueceram.

Os relatórios desta sexta-feira se juntaram aos dados fracos da construção, indústria e crescimento das exportações, o que sugere que o crescimento esfriou significativamente nos últimos três meses de 2015.

As empresas intensificaram seus esforços para reduzir o excesso de mercadorias, com outro relatório do Departamento do Comércio mostrando que os estoques caíram 0,2 por cento em novembro --a maior queda desde setembro de 2011. Os estoques haviam caído 0,1 por cento em outubro.

Em um quarto relatório, o Federal Reserve, banco central dos EUA, disse que a produção industrial recuou 0,4 por cento em dezembro, sobretudo como resultado das reduções nos serviços públicos e mineração, após recuarem 0,9 por cento em novembro.

Um quinto relatório, do Departamento do Trabalho, mostrou que seu índice de preços ao produtor recuou 0,2 por cento após alta de 0,3 por cento em novembro.

Na sequência de um relatório na quinta-feira mostrando forte queda dos preços dos importados em dezembro, a fraqueza dos preços ao produtor sugere que um aumento esperado da inflação vai provavelmente ficar abaixo da meta de 2 por cento do Fed.