Proposta de aditivo para Dutra prevê R$2 bi em novos investimentos até 2021, diz fonte

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016 17:35 BRST
 

Por Leonardo Goy

BRASÍLIA (Reuters) - O governo federal deve lançar em fevereiro a proposta para o aditivo contratual da rodovia Presidente Dutra, operada pela CCR, com previsão de obras avaliadas em mais de 2 bilhões de reais que devem ser entregues antes do término da atual concessão, em 2021, disse à Reuters uma fonte do governo com conhecimento do assunto.

Segundo essa fonte, que falou na condição de anonimato, a contrapartida aos investimentos, que deve ser apresentada em audiência pública, é a prorrogação do prazo de concessão da CCR para além de 2021.

"Aporte do governo não é uma possibilidade na atual conjuntura e aumento de tarifa é difícil, pois provavelmente o pedágio ficaria muito caro", disse a fonte.

Segundo essa mesma fonte, o prazo de prorrogação do contrato, que também constará da audiência pública, ainda está sendo discutido internamente no governo.

O principal investimento a ser feito na rodovia, segundo a proposta que irá à audiência pública, é a construção de uma nova subida na Serra das Araras, no Rio de Janeiro, com investimento de cerca de 1,7 bilhão de reais a ser concluído em 44 meses, disse a fonte.

Além disso, será incluído um pacote de 19 quilômetros de novas marginais nos trechos próximos a São José dos Campos (SP), Guarulhos (SP) e Nova Iguaçu (RJ). Essas pistas demandarão investimentos de cerca de 400 milhões de reais e terão que ser concluídas em 22 meses.

Outros investimentos que estarão na proposta incluem a construção de cerca de 7 quilômetros de faixas adicionais na altura de Guarulhos (SP) e Guararema (SP) e dois novos trevos e viadutos.

Procurada, a CCR informou que não vai comentar o assunto.

As ações da companhia exibiam queda de 2,75 por cento às 17h32, enquanto o Ibovespa mostrava desvalorização de 2,8 por cento.