BC do Japão tem visão mais pessimista sobre aumentos salariais

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016 10:43 BRST
 

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O banco central do Japão expressou decepção com a lentidão das companhias de elevar os salários, apesar do mercado de trabalho mais apertado, sugerindo sua disposição em expandir os estímulos se a recente turbulência do mercado adiar ainda mais os aumentos salariais.

Mas o presidente do banco central, Haruhiko Kuroda, manteve sua visão otimista sobre a economia e não deu sinais claros de que estímulos adicionais podem estar vindo neste mês.

"A economia japonesa deve continuar a se recuperar modestamente", ele disse em um encontro com gerentes de filiais regionais do banco central nesta segunda-feira, sem fazer menção à turbulência do mercado global que fez as ações de Tóquio despencarem.

O crescimento dos salários é crucial para o objetivo do banco central de acelerar a inflação --que está pouco acima de zero no momento-- para 2 por cento, já que os salários mais altos dão aos consumidores mais dinheiro para gastar e permitem que as empresas elevem os preços.

"Por ora, fracassou o impulso para a elevação de salários no próximo ano fiscal ganhar ritmo", com muitas empresas cautelosas com uma diminuição do mercado doméstico e com as incertezas globais, disse o banco.

A visão pessimista sobre os salários destaca os desafios que o Banco do Japão encara em erradicar a persistente lógica deflacionária do país.

(Reportagem adicional por Stanley White)