FMI corta projeção de crescimento global por China e queda do preço do petróleo

terça-feira, 19 de janeiro de 2016 09:05 BRST
 

Por David Lawder

WASHINGTON (Reuters) - O Fundo Monetário Internacional (FMI) cortou nesta terça-feira suas projeções de crescimento global pela terceira vez em menos de um ano, citando uma forte desaceleração do comércio chinês e preços fracos das commodities, que estão afetando o Brasil e outros mercados emergentes.

O Fundo prevê que a economia mundial vai crescer 3,4 por cento em 2016 e 3,6 por cento em 2017, ambos os anos com corte de 0,2 ponto percentual das previsões anteriores de outubro. O FMI disse que as autoridades devem considerar maneiras de impulsionar a demanda no curto prazo.

As previsões atualizadas do relatório "Perspectiva Econômica Global" vêm no momento em que os mercados financeiros globais são perturbados pelas preocupações com a desaceleração da China e a forte queda dos preços do petróleo.

O FMI manteve suas previsões sobre o crescimento da China de 6,3 por cento em 2016 e de 6 por cento em 2017, o que, contudo, representa forte desaceleração em relação ao crescimento de 6,9 por cento em 2015 e de 7,3 por cento em 2014.

Mas o Fundo disse que uma desaceleração maior da demanda na China continua sendo um risco ao crescimento global e que os dados mais fracos do que esperado das importações e exportações chinesas estão pesando com força sobre outros mercados emergentes e exportadores de commodities.

"Nós não vemos uma grande mudança nos fundamentos da China comparado ao que vimos há seis meses, mas os mercados estão certamente bastante assustados com pequenos eventos que eles acham difíceis de interpretar", disse o economista-chefe do FMI, Maurice Obstfeld, em comunicado gravado em vídeo.

 
Logo do FMI na sede do fundo em Washington. 19/01/2016 REUTERS/Yuri Gripas