BTG Pactual tem lucro não auditado de R$1,2 bi no 4º tri; prevê normalização da liquidez

terça-feira, 19 de janeiro de 2016 12:53 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O BTG Pactual previu que suas condições de liquidez vão se normalizar apoiadas na sua capacidade de seguir gerando negócios e receitas, logo após ter divulgado um lucro não auditado do quarto trimestre 45 por cento maior na comparação com um ano antes.

O grupo, que vem conduzindo um processo acelerado de venda de ativos e carteira de crédito como meio de amenizar os efeitos da prisão de seu fundador André Esteves, em novembro, anunciou nesta manhã lucro líquido de 1,23 bilhão de reais de outubro a dezembro, numa tentativa de acalmar investidores.

Comparado com o terceiro trimestre de 2015, o lucro caiu 18,5 por cento, diante de maiores provisões, encargos e despesas operacionais.

Numa teleconferência com analistas após a divulgação do resultado não auditado, o co-presidente-executivo do BTG Pactual Marcelo Kalim disse que os negócios de fusões e aquisições e de mercados de capitais devem impulsionar a receita de banco de investimento, enquanto a área de "Sales and trading" deve continuar crescendo num cenário de alta volatilidade nos mercados de commodities.

O grupo deve ter receitas não recorrentes com a venda de ativos e de carteiras de empréstimos, embora isso possa levar mais tempo para acontecer do que no trimestre anterior, disse o executivo.

Kalim afirmou ainda que a instituição já tomou cerca de 5 bilhões de reais da linha de 6 bilhões de reais disponibilizada pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC).

No quarto trimestre, a receita total do BTG Pactual somou 3,52 bilhões de reais, alta de 122 por cento na comparação anual, impulsionada principalmente pelo segmento "Sales and trading" e pela área de gestão de fortunas. Sobre o trimestre imediatamente anterior, o aumento foi de cerca de 37,5 por cento.

O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio do BTG Pactual, importante indicador de rentabilidade de instituições financeiras, ficou em 22 por cento entre outubro e dezembro de 2015, ante 18,4 por cento no quarto trimestre de 2014 e 28,8 por cento no terceiro trimestre do ano passado.

O total de ativos do BTG Pactual era de 266,5 bilhões de reais no fim de dezembro de 2015, queda de 12 por cento ante setembro.   Continuação...