Não há colapso global e perspectiva de crescimento da UE continua, diz autoridade da UE

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016 10:38 BRST
 

Por Paul Taylor

DAVOS, Suíça (Reuters) - Os bancos centrais ainda têm mais poder de fogo que podem usar para combater a desaceleração do crescimento global, o que não muda a perspectiva para a recuperação na zona do euro, disse o Comissário Europeu de Economia, Pierre Moscovici, nesta quarta-feira.

Em entrevista para a Reuters Television no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, Moscovici disse não acreditar que haverá qualquer retorno à crise financeira internacional, apesar da turbulência dos mercados mundiais durante as primeiras semanas de 2016, disparada pela desaceleração da China e pelos preços baixos do petróleo.

Questionado se os principais bancos centrais do mundo ficaram sem munição para reanimar a economia global após anos de taxas de juros em mínimas recordes e medidas de estímulo, ele disse: "Eles têm armas e podem agir."

Embora se recusando a fazer recomendações de política monetária ao Banco Central Europeu (BCE), Moscovici disse que o BCE tomou as ações certas desde 2012 para preservar a unidade da zona do euro e mostrar que pode resistir a qualquer choque.

A ação do BCE também lidou problemas ligados ao baixo crescimento "e precisamos continuar com isso", disse.

Moscovici afirmou que não espera nenhuma grande mudança na perspectiva de crescimento da zona do euro quando a Comissão Europeia divulgar previsões atualizadas no começo de fevereiro, apesar da forte desaceleração da China e dos tombos dos mercados acionários e de commodities.

A última previsão do executivo da União Europeia, de novembro, prevê que a zona do euro cresça 1,8 por cento este ano e 1,9 por cento em 2017, após uma estimativa de 1,6 por cento para o ano passado.