Preços do petróleo pesam sobre inflação dos EUA; início de construções enfraquece

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016 14:03 BRST
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - Os preços ao consumidor dos Estados Unidos caíram inesperadamente em dezembro uma vez que o custo da energia recuou e os preços de uma gama de serviços subiram moderadamente, uma tendência que, se sustentada, sugere que a inflação pode demorar a acelerar até a meta do Federal Reserve, banco central do país.

Outros dados desta quarta-feira mostraram uma surpreendente queda no início de construção de moradias no mês passado, somando-se a uma série de dados que sugerem uma significativa desaceleração do crescimento econômico no fim de 2015.

Os relatórios fracos de inflação e de construção podem diminuir ainda mais as expectativas de outro aumento de juros pelo Fed em março.

O Departamento do Trabalho informou que o índice de preços ao consumidor recuou 0,1 por cento após ficar estável em novembro. Apesar da queda, o índice acumula alta de 0,7 por cento nos 12 meses encerrados em dezembro, o maior aumento em um ano.

Economistas esperavam que o índice permanecesse inalterado no mês passado e que aumentasse 0,8 por cento na base anual.

O núcleo do índice de preços ao consumidor, que elimina os custos de energia e alimentação, subiu 0,1 por cento após alta de 0,2 por cento por três meses consecutivos. Nos 12 meses até dezembro, o núcleo da inflação subiu 2,1 por cento, o maior ganho desde julho de 2012.

O Fed, que tem meta de 2 por cento da inflação, segue uma medida dos preços que está bem abaixo do núcleo do índice de preços ao consumidor.

Em um relatório separado, o Departamento do Comércio disse que o início de construção de moradias caiu 2,5 por cento para, um ritmo anual sazonalmente ajustado de 1,15 milhão de unidades.