Café robusta toca mínimas desde 2010; açúcar cai com pressão sobre commodities

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016 17:38 BRST
 

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) - Os preços do açúcar bruto tiveram a maior queda em 2 meses e meio nesta quarta-feira na bolsa ICE, por vendas especulativas e pressão do fraco cenário macroeconômico, disseram operadores.

O índice Thomson Reuters CoreCommodity Index, que acompanha 19 mercados, caiu 2,8 por cento nesta quarta-feira, para o menor nível desde março de 2002, conforme os preços do petróleo nos EUA caíram abaixo de 27 dólares o barril pela primeira vez desde 2003, levando a uma queda nos mercados financeiros mundiais.

Os contratos futuros do café robusta despencaram para mínimas de 5 anos e meio, caindo pela terceira sessão consecutiva por um forte fluxo de oferta do Vietnã, grande produtor, e pela fraqueza geral nos mercados de commodities, disseram operadores.

O café robusta para março teve queda de 46 dólares, ou 3,3 por cento, para 1.366 dólares por tonelada, após ter caído para uma mínima desde junho de 2010, a 1.359 dólares por tonelada.

Os contratos futuros do café arábica para março tiveram queda de 4,05 centavos de dólar, ou 3,5 por cento, encerrando a 1,116 dólar por libra-peso, após terem caído para 1,1105 dólar por libra-peso, uma mínima de dois anos.

Os contratos futuros do açúcar também caíram acentuadamente acompanhando a baixa das commodities, com o contrato do açúcar bruto para março encerrando em queda de 0,57 centavo de dólar, ou 3,9 por cento, a 14,18 centavos de dólar por libra-peso em sessão com forte volume.

O açúcar branco para março encerrou em queda de 7,50 dólares, ou 1,8 por cento, a 417,80 dólares por tonelada.

"Há uma influência macro sobre o açúcar hoje", disse um operador nos EUA.

(Por Marcy Nicholson e Nigel Hunt)