Bovespa recua 1% com cena externa e petróleo abaixo de US$27; Petrobras PN cai 5%

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016 19:08 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice em queda de 1 por cento nesta quarta-feira, afetada pela forte aversão a risco no ambiente financeiro global, em meio à queda do preço do petróleo para menos de 27 dólares o barril.

O Ibovespa caiu 1,08 por cento, a 37.645 pontos, renovando a mínima desde 9 de março de 2009. Durante o pregão, o índice de referência do mercado acionário chegou a desabar 2,66 por cento. O volume financeiro somou 5,26 bilhões de reais.

No ano, a queda do Ibovespa supera 13 por cento.

Em nota a clientes, o banco UBS destacou que agentes financeiros estão assustados com a ausência de qualquer estímulo relevante do governo chinês para contrabalançar a desaceleração daquela economia após bateria recente de dados fracos.

No caso das commodities, o barril de petróleo WTI nos Estados Unidos despencou quase 7 por cento, para 26,55 dólares, em meio a preocupações com a ampla oferta e à desaceleração da economia global.

Em Wall Street, os principais índices desaceleraram fortemente as perdas perto do encerramento do pregão, ajudando a reduzir a queda na Bovespa.

Na cena doméstica, também pesou o ruído gerado por comentários do presidente do Banco Central na terça-feira, que adicionaram incertezas sobre o rumo da taxa básica de juros e eventual interferência política.

Em véspera de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa Selic, em um movimento raro, o titular da instituição, Alexandre Tombini, avaliou como "significativas" as revisões para o crescimento do Brasil feitas pelo FMI e acrescentou que o comitê irá considerar todas as informações disponíveis e relevantes ao definir os juros.   Continuação...