Quase um quarto de potenciais eleitores do Níger são barrados de votação presidencial

sábado, 23 de janeiro de 2016 12:24 BRST
 

Por Abdoulaye Massalaki

NIAMEY (Reuters) - Quase um quarto dos eleitores potenciais do Níger - 1,5 milhão de pessoas - será impedido de lançar cédulas na eleição presidencial do próximo mês, disse o governo, depois de políticos não chegarem a acordo sobre um sistema para registrá-los.

Por os eleitores não terem documentação para provar sua identidade, a Comissão Eleitoral Nacional Independente propôs um sistema de utilização de testemunhas. Mas políticos não conseguiram aprová-lo em uma reunião na sexta-feira.

"Não houve consenso entre a classe política e, portanto, 1,5 milhão de nigerianos não podem exercer o seu direito de voto em 21 de fevereiro", disse Alkassoum Indatou, porta-voz da maioria presidencial, na televisão estatal na noite de sexta.

Não houve reação imediata das autoridades eleitorais ou de grupos de direitos humanos que acusam regularmente o governo de repressão sobre a oposição.

Os principais partidos de oposição confirmaram o impasse, dizendo que alguns políticos se recusaram a aceitar os eleitores porque a lei eleitoral do país exclui voto por testemunha. Não ficou claro se os problemas afetariam algumas partes do país ou blocos políticos mais do que outros.