China promete expandir reforma fiscal e adotar imposto sobre valor agregado

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016 12:34 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China irá expandir reformas fiscais para substituir um imposto corporativo por um Imposto sobre o Valor Adicionado (VAT, na sigla em inglês) neste ano, disse o primeiro-ministro Li Keqiang, segundo rádio estatal, no passo mais recente para fortalecer o crescimento do país, que enfrenta desaceleração.

Grandes líderes já prometeram cortar impostos e ampliar o déficit orçamentário do governo em 2016 para apoiar o crescimento econômico, que diminuiu em 2015 e chegou a seu menor nível em 25 anos.

"Iremos expandir plenamente as reformas fiscais para ajudar a reduzir substancialmente os encargos tributários para empresas", teria afirmado Li.

A medida levará a cortes de impostos em larga escala para as companhias, disse o premiê.

As reformas fiscais ajudarão a economia a suportar a pressão de baixa e apoiarão os setores de serviços mais sofisticados, acrescentou.

O governo prometeu contemplar na reforma fiscal o setor imobiliário, os serviços financeiros e os serviços ao consumidor.

A reforma do VAT, que foi lançado em 2012 como um programa de teste, foi aplicada no transporte ferroviário, nos serviços postais, nas telecomunicações e em alguns setores de serviços.

(Por escritório de monitoramento da China e Kevin Yao)