Adidas irá retirar patrocínio de federação internacional de atletismo após escândalos, diz BBC

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016 16:22 BRST
 

Por Mitch Phillips

LONDRES (Reuters) - A companhia de artigos esportivos alemã Adidas (ADSGn.DE: Cotações) irá terminar seu contrato de patrocínio com a Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf) quase quatro anos antes do previsto, após escândalos envolvendo o esporte, segundo reportagem da BBC no domingo.

A BBC disse que a Adidas, cujo acordo de 11 anos tornou a empresa a maior patrocinadora do órgão responsável pelo atletismo mundial, decidiu terminar o contrato existente como resultado direto das acusações de doping e corrupção que surgiram em dezembro envolvendo a modalidade.

A BBC também informou que a Adidas considera as acusações de práticas corruptas dentro da organização como uma brecha do acordo por parte da Iaaf.

Adidas e IAAF não quiseram comentar a reportagem, quando contactadas pela Reuters.

A Adidas repetiu sua postura padrão sobre o escândalo da Iaaf: "A Adidas possui uma política antidoping em prática. Logo, estamos em contato com a Iaaf para saber mais sobre o processo de reforma".

A companhia alemã, que também possui um acordo de longa duração com a Fifa, outra entidade abalada por escândalos, foi alvo de críticas por se abster de criticar o presidente suspenso da Fifa, Joseph Blatter, após autoridades suíças iniciarem uma investigação criminal contra o dirigente.

No final do ano passado, uma comissão independente da Agência Mundial Antidoping (Wada) revelou uma cultura ampla de doping patrocinada pelo Estado na Rússia. Na semana passada, a comissão divulgou um segundo relatório sobre sua investigação, que acusou a Iaaf de ter "corrupção incorporada" no topo da organização sob o comando do ex-presidente Lamine Diack.

 
Logo da Adidas visto em prédio da companhia.  25/01/2016     REUTERS/Christian Hartmann