Vale consegue liminar que libera exportações do porto de Tubarão

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016 21:23 BRST
 

Por Marta Nogueira

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Vale conseguiu nesta segunda-feira liminar que suspende a interdição no porto de Tubarão, no Espírito Santo, que impedia desde quinta-feira as exportações de minério de ferro da empresa do local, informou a empresa.

"A Vale informa que obteve decisão favorável do Tribunal Regional Federal (TRF) que garante o reestabelecimento imediato das atividades do Píer II e do Terminal de Praia Mole (TPM)", disse a companhia, em comunicado.

Mais cedo nesta segunda-feira, o advogado da companhia, Sergio Bermudes, do escritório Sergio Bermudes Advogados, disse à Reuters que a mineradora havia obtido a autorização para retomar as exportações.

Ele explicou que, na liminar, a Justiça deu à Vale "o prazo de 60 dias para apresentar um plano de solução" para as questões ambientais no porto.

A mineradora, maior exportadora global de minério, teve as atividades no porto interditadas pela Justiça, que quer obrigar a empresa a adotar novas medidas para evitar danos ao meio ambiente a partir de suas atividades em Tubarão.

Em sua decisão, a Justiça havia suspendido, na semana passada, as atividades da Vale e da ArcelorMittal no Píer II (minério de ferro) do porto de Tubarão e no Píer de Carvão do Terminal de Praia Mole (TPM), que também faz parte do Complexo Portuário de Tubarão.

Como consequência, a mineradora ficou impedida, desde quinta-feira, de embarcar cerca de 200 mil toneladas de minério de ferro próprias por dia a partir do porto.

Localizado na parte continental do município de Vitória, capital capixaba, o terminal é o maior exportador de minério e pelotas de ferro do mundo, e também movimenta outras cargas, como grãos e combustíveis.   Continuação...