Inadimplência no Brasil sobe a 5,3% em 2015, estoque de crédito tem menor alta em 8 anos

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016 11:35 BRST
 

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - A inadimplência no mercado de crédito no país no segmento de recursos livres atingiu em 2015 o maior patamar em mais de três anos, num ambiente de pressão sobre o orçamento dos brasileiros, em meio à economia em recessão, inflação elevada, aumento do desemprego e condições mais duras de financiamento.

Nesse segmento, em que os empréstimos têm taxas de juros definidas livremente pelas instituições financeiras, a inadimplência foi a 5,3 por cento em dezembro, contra 5,2 por cento em novembro e 4,3 por cento um ano antes, divulgou o Banco Central nesta quarta-feira.

Com isso, a taxa foi ao nível mais alto desde novembro de 2012, quando havia ficado em 5,31 por cento.

O quadro reflete as condições mais duras no ano para a quitação de empréstimos, que ficaram mais caros diante do ciclo de aperto nos juros para combate à inflação, além do aumento da percepção de risco com um mercado de trabalho em deterioração e diminuição da renda média dos trabalhadores.

Em dezembro, os juros médios no segmento de recursos livres caíram a 47,3 por cento, contra 48,1 por cento em novembro. Mas no ano, exibiram alta de 10 pontos percentuais.

O spread bancário, que aponta a diferença entre o custo de captação e a taxa cobrada pelos bancos ao consumidor final, também teve ligeira queda em dezembro, a 32,1 pontos percentuais, contra 33,3 pontos em novembro. No acumulado de 2015, entretanto, o aumento foi de 6,8 pontos percentuais.

ESTOQUE   Continuação...