Furtos de defensivos agrícolas em Mato Grosso disparam com alta de preços

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016 13:54 BRST
 

Por Gustavo Bonato

SORRISO, Mato Grosso (Reuters) - Os altos preços dos defensivos agrícolas, impulsionados pela alta do dólar ante o real, têm estimulado um aumento dos furtos e roubos em fazendas no Mato Grosso, maior produtor de grãos do país, causando dor de cabeça e perdas financeiras a produtores.

O número de furtos e roubos de defensivos no Estado, principalmente com ataques a depósitos nas propriedades rurais, saltou 82 por cento em 2015, para 51 casos, contra 28 registros em 2014, segundo dados da Secretaria Estadual de Segurança Pública compilados a pedido da Reuters.

Nas primeiras semanas de 2016, apesar de não haver estatísticas fechadas, os casos continuam frequentes.

O produtor Orcival Guimarães teve uma carga de defensivos agrícolas avaliada em 1,3 milhão de reais roubada de sua fazenda no município de Matupá, na semana passada.

"Vizinhos viram duas caminhonetes com seis a oito pessoas, por volta da meia-noite... Cortaram o cadeado do depósito. Foram seletivos, pegaram os produtos mais caros", relatou.

Nesta época do ano, em que a soja está em plena fase de desenvolvimento, esse tipo de ação é facilitada pelas grandes quantidades de defensivos que os produtores precisam manter perto das lavouras para aplicação contra doenças e pragas.

Os preços dos defensivos estão atualmente 30 por cento mais elevados do que um ano atrás, refletindo uma alta de 45 por cento na cotação do dólar frente o real no mesmo período, segundo levantamento do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

"Em razão do alto valor agregado desse produto, as quadrilhas que lidavam com roubo a banco e de carro-forte estão migrando", disse o delegado da Polícia Civil de Mato Grosso Diogo Santana, que lidera as investigações a esse tipo de crime. "A lucratividade é maior e o risco é muito menor."   Continuação...