China promete regulação mais dura para plantio de grãos transgênicos

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016 14:04 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China pretende aumentar a repressão sobre o cultivo de grãos geneticamente modificados, disse uma autoridade sênior do setor de agricultura nesta quinta-feira, após registros de plantio de variedades não aprovadas de milho e soja.

O ministério da agricultura começou uma investigação em todo o país no último ano, em meio a relatos de que fazendeiros na província de Heilongjiang, no nordeste da China, estavam plantando variedades transgênicas não aprovadas de soja.

Até 93 por cento das amostras de campos de milho em Liaoning, outra província do nordeste, tiveram resultado positivo em testes para verificar se eram transgênicos, apontou uma pesquisa feita pelo grupo ambientalista Greenpeace.

"Precisamos fortalecer a regulação no dia a dia e supervisionar estritamente a implementação da lei", disse o vice-diretor da unidade de política agrícola do Partido Comunista, Han Jun.

"Devemos atuar na fonte para impedir que as sementes modificadas que não foram aprovadas entrem no mercado", disse Han em coletiva de imprensa.

Pessoas preocupadas com riscos de produtos geneticamente modificados devem ter o direito de escolher se querem usá-los, disse ele.

A China permite importações de soja geneticamente modificada, mas apenas para uso em ração animal.

A China vai continuar a "promover prudentemente o uso da tecnologia transgênica para garantir a segurança", disseram autoridades em documento publicado na quarta-feira, que aponta as prioridades da política agrícola do país para o ano.

(Por David Stanway)