JetBlue irá reembolsar passagens aéreas para regiões afetadas pelo Zika

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016 14:22 BRST
 

(Reuters) - A companhia aérea norte-americana JetBlue irá reembolsar clientes com passagens para regiões afetadas pelo vírus Zika ou permitir remarcação de voos, disse um porta-voz da empresa nesta quinta-feira.

A aérea também foi fundada pelo empresário David Neeleman, fundador da Azul, a terceira maior empresa aérea brasileira.

A companhia sediada em Nova York e líder em viagens ao Caribe é a mais recente de uma série de aéreas --como United Continental e Latam Airlines-- a reembolsar clientes que planejavam viajar a áreas afetadas pelo vírus.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou que o Zika, que pode ter ligação com milhares de casos de microcefalia no Brasil, possivelmente irá se espalhar pela maior parte das Américas.

"Acreditamos que pode haver uma diminuição de agendamentos durante esta época pelo aumento da cobertura da mídia e medo generalizado até que mais informações sejam conhecidas", disse nesta quinta-feira a analista Helane Becker, da Cowen and Co, em comunicado.

No entanto, falando em termos de impacto da doença no desempenho das companhias aéreas, a analista acrescentou: "não vemos o vírus no mesmo nível que o surto de Ebola no final de 2014 ou da (síndrome respiratória) Sars em 2003". "Vemos a queda das ações resultado do vírus Zika como oportunidade de compra", declarou.

O Zika, da mesma família da dengue e Chikungynya, causa irritações na pele, febre e vermelhidão nos olhos. Cerca de 80 por cento dos infectados normalmente não apresentam sintomas, tornando difícil o diagnóstico em mulheres grávidas. Atualmente, não há vacina ou tratamento disponível.

(Por Jeffrey Dastin, em Nova York)

 
Área de check-in da JetBlue em aeroporto de Nova York.    14/01/2016   REUTERS/Shannon Stapleton