BTG Pactual demite 18,5% dos empregados no Brasil para reduzir custos

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016 20:39 BRST
 

Por Guillermo Parra-Bernal e Tatiana Bautzer

SÃO PAULO (Reuters) - O Grupo BTG Pactual anunciou nesta quinta-feira a demissão de 305 empregados no Brasil, ou 18,5 por cento de seu quadro de funcionários no país, confirmando reportagem da Reuters publicada na quarta-feira.

Em comunicado ao mercado, o banco de investimentos disse que busca, com o corte de pessoal em São Paulo, no Rio de Janeiro e em outras cidades do país, reduzir seus custos totais em 25 por cento. O grupo informou ainda que "nenhuma linha de negócios foi ou será desativada".

Na quarta-feira, uma fonte disse à Reuters que o BTG Pactual planejava cortes de até um quarto de sua equipe sediada no Brasil, parte do esforço para adaptar o quadro de pessoal ao novo tamanho da instituição após a prisão em novembro do fundador do grupo, André Esteves.

Esteves, que também era presidente-executivo do BTG Pactual, foi preso sob acusação de obstruir a operação Lava Jato, que investiga um esquema bilionário de corrupção envolvendo a Petrobras. O banqueiro, que nega as acusações, foi colocado em prisão domiciliar em dezembro.

Após a prisão de Esteves, o maior banco de investimentos da América Latina começou a vender ativos e a desmontar operações no mercado financeiro.

Os ativos totais do banco caíram 12 por cento, para 266,6 bilhões de reais, em dezembro contra setembro de 2015. Uma série de ativos, incluindo carteiras de crédito e participações em companhias, foram colocados à venda para reforçar a liquidez.

Excluindo a gestora de recursos na Suíça BSI do grupo, o BTG Pactual tinha cerca de 3.300 empregados no mundo em dezembro.

  Continuação...