Venda de carros e comerciais leves novos no Brasil cai em janeiro sobre um ano antes

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016 13:47 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas de automóveis e comerciais leves novos no Brasil seguem em queda em janeiro, recuando mais de um terço sobre os licenciamentos de um ano antes, o que tem dado motivos para montadoras continuarem promovendo medidas de ajuste de produção que incluem demissões e férias coletivas.

Em janeiro até quinta-feira, as vendas de veículos leves novos no Brasil somaram 139,4 mil unidades, o que corresponde a uma média por dia útil de 7,3 mil veículos. Esta média é 37 por cento menor que a registrada em janeiro de 2015, de 11,6 mil unidades, informou uma fonte do setor com acesso aos dados de licenciamentos.

A associação de montadoras de veículos, Anfavea, divulga no próximo dia 4 os totais de vendas e produção do setor em janeiro.

Na véspera, a General Motors informou que vai demitir cerca de 800 trabalhadores de sua fábrica em São José dos Campos (SP), após fim de suspensão de contratos de trabalho iniciado em agosto passado. Na quarta-feira, a Fiat paralisou a maior parte da produção de sua fábrica em Betim (MG) por 20 dias ao conceder férias coletivas aos funcionários.

Na comparação com o mesmo período de dezembro, as vendas de veículos leves em janeiro até a quinta-feira tiveram queda 28 por cento, segundo os dados informados pela fonte.

A associação de montadoras, Anfavea, estima queda de 7,3 por cento nas vendas de veículos leves novos no Brasil este ano, para 2,3 milhões de carros e comerciais leves.

Uma outra fonte do setor informou também nesta sexta-feira que em janeiro até quarta-feira, as vendas de caminhões novos, uma espécie de termômetro do nível de investimento do setor privado, acumulavam queda de 42 por cento sobre o mesmo período do ano passado, para 3,8 mil unidades. Já os licenciamentos de ônibus novos mostravam queda de 39 por cento, a pouco mais de 1 mil unidades.

(Por Alberto Alerigi Jr.)