China permitirá que bancos invistam diretamente em empresas de tecnologia, dizem fontes

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016 14:41 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China está planejando um programa piloto para permitir que bancos comerciais selecionados montem unidades de investimentos em equities para ter fatias diretas em empresas de tecnologia, disseram pessoas familiarizadas com o assunto, um movimento que visa dar às instituições financeiras uma chance de entrar em uma indústria de alto crescimento enquanto alimenta a concorrência com participantes de private equity.

Sob a lei chinesa de bancos comerciais, os bancos são proibidos de investir diretamente em equities de instituições não bancárias, salvo indicações do governo.

O programa piloto, apelidado de "mecanismo de ligação de empréstimos e investimentos", deve começar em algum momento este ano por meio de uma aprovação especial do Conselho do Estado, o gabinete da China, disse uma autoridade do governo com conhecimento direto sobre os planos. A autoridade não estava autorizada a falar com a imprensa e solicitou anonimato.

Detalhes sobre quais bancos se qualificarão para participar no esquema piloto e sob quais condições, ainda precisam ser decididas, disse a autoridade e três executivos seniores, mas a autoridade de regulamentação bancária da China identificou o esforço como uma grande tarefa para 2016.

Os executivos não quiseram ser identificados porque não estavam autorizados a falar com a imprensa. A Comissão Regulatória de Bancos da China não respondeu a um pedido de comentários.

O movimento pretende canalizar mais apoio financeiro ao crescente setor tecnológico da China, um tradicional território de caça para private equity, venture capital e bancos de investimento estrangeiros.

(Por Shu Zhang e Matthew Miller; reportagem adicional por Paul Carsten)