Conab vende 85% de milho ofertado em leilão para esfriar preços

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016 16:58 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vendeu 85 por cento do milho que ofertou nesta segunda-feira em um leilão de estoques públicos que buscava aliviar as condições de oferta apertada, principalmente para indústrias do Sul do país.

A Conab ofertou 148,03 mil toneladas, encontrando compradores para 125,91 mil toneladas, segundo dados divulgados pela entidade.

A maior parte dos lotes estava localizada em armazéns em Mato Grosso, principal Estado produtor de milho.

As médias ponderadas dos preços efetivados nos dois grandes grupos de lotes ofertados foram de 22,12 reais e 22,64 reais por saca de 60 kg, um preço que não foi considerado muito atrativo por agentes do mercado.

"O preço foi alto, e a taxa de armazenagem (a ser cobrada posteriormente pelos armazéns) encarece mais ainda", afirmou o corretor Uéliton Costa, da corretora Dinâmica, em Sinop (MT).

Segundo ele, produtores têm pedido cerca de 26 reais por saca em cargas de milho para pronta entrega no mercado local atualmente.

Grandes compradores de milho, como indústrias e produtores de aves e suínos, têm reclamado de escassez do produto em algumas regiões importantes, como Santa Catarina, devido à forte demanda pelo cereal, cujas exportações têm batido recorde.

"Se o objetivo do leilão era intervir nos preços e buscar reduzir a média ou frear a subida do custo das indústrias de carne, creio que se esperava preços melhores", disse o supervisor responsável pela compra de insumos para ração em uma indústria de carne suína do Rio Grande do Sul, falando sob condição de anonimato.

"A qualidade do milho também não foi dentro do padrão que necessitamos", disse o executivo de compra de grãos de uma grande indústria do oeste catarinense, que acabou não participando da disputa.   Continuação...