Preços ao produtor da zona do euro aumentam pressão sobre BCE, mas desemprego cai

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016 08:35 BRST
 

Por Robert-Jan Bartunek

BRUXELAS (Reuters) - Os preços ao produtor caíram mais do que o esperado em dezembro nos 19 países da zona do euro, em mais um sinal dos desafios que o Banco Central Europeu (BCE) encara para levar a inflação mais próximo de sua meta no médio prazo.

Os preços ao produtor caíram 0,8 por cento em dezembro comparado com o mês anterior, e 3 por cento em relação ao mesmo período do ano anterior, informou a agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat, nesta terça-feira.

Os resultado foram piores que as expectativas em pesquisa da Reuters com 13 economistas, que esperam queda dos preços de 0,6 por cento e 2,8 por cento, respectivamente.

O presidente do BCE, Mario Draghi, prometeu aumentar a inflação, rejeitando críticas à política monetária frouxa do banco e argumentando que o crescimento fraco dos preços estaria prejudicando a economia da zona do euro. O mandato do BCE é de manter a inflação pouco abaixo dos 2 por cento por ano.

Porém, em um raro dado positivo para a zona do euro, abalada por anos de estagnação e crise econômica, o desemprego caiu mais do que esperado, para 10,4 por cento da população ativa, ante 11,4 por cento um ano antes.