Itaú Unibanco eleva lucro no 4º tri; prevê crédito fraco e provisões maiores em 2016

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016 09:45 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Itaú Unibanco teve lucro pouco acima das previsões nos últimos três meses de 2015, com receitas maiores e controle de despesas, mas previu salto superior a 40 por cento na provisão para calotes e possível retração no crédito neste ano, refletindo a economia do país, que ruma para a pior recessão em um século.

O maior banco privado do país anunciou nesta terça-feira que seu lucro recorrente do quarto trimestre somou 5,773 bilhões de reais, alta de 2 por cento sobre um ano antes. A previsão média de analistas consultados pela Reuters era de lucro recorrente de 5,51 bilhões de reais. [nL2N15A0OS]

Após efeitos extraordinários, o lucro líquido teve alta de 3,2 por cento no comparativo anual, a 5,698 bilhões de reais.

Apesar do crescimento de apenas 4,3 por cento da carteira de crédito, que fechou o ano em 548,1 bilhões de reais, o Itaú Unibanco viu a margem financeira com clientes crescer 1,1 por cento na base sequencial e de 13,2 por cento sobre um ano antes.

A capacidade de repassar taxas maiores nas operações de crédito e de obter bons resultados com a tesouraria levaram o banco a ter alta de 20,7 por cento da margem financeira gerencial no ano, acima da estimativa de 14,5 a 17,5 por cento.

O índice de inadimplência, medido pelo saldo de atrasos com mais de 90 dias, foi a 3,5 por cento, 0,2 ponto percentual maior que no trimestre anterior e 0,4 ponto acima de um ano antes. O índice de 15 a 90 dias recuou 0,4 ponto na comparação com o terceiro trimestre, a 2,6 por cento.

Ainda assim, a despesas com provisão para calotes, líquida de recuperação de crédito, caiu 0,4 por cento na base sequencial a 4,634 bilhões, refletindo o crescimento de 35,4 por cento das receitas com recuperação de crédito baixado para prejuízo.

A despesa não decorrente de juros, incluindo administrativos e salários, subiu 1,95 por cento sobre o trimestre anterior e 9,95 por cento sobre um ano antes. No consolidado de 2015, o aumento foi de 8,8 por cento, dentro da meta do banco de fazê-la ficar abaixo da inflação, de 10,7 por cento pelo IPCA.

Em outra frente, as receitas do trimestre com serviços e tarifas avançaram 10,6 por cento ano a ano, para 7,645 bilhões de reais.   Continuação...

 
Agência do Itaú no centro do Rio de Janeiro.    29/01/2014   REUTERS/Sergio Moraes