Ações sobem com queda do dólar diminuindo temores de depreciação do iuan

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016 08:05 BRST
 

XANGAI/SYDNEY (Reuters) - As ações asiáticas subiram nesta quinta-feira com a especulação de que Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, pode não elevar os juros este ano, fazendo o dólar cair e o petróleo subir, o que também fez os índices chineses avançarem pela redução dos temores de uma depreciação maior do iuan.

O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, avançou 1,2 por cento. O índice de Xangai teve alta de 1,6 por cento com as operações diminuindo antes dos feriados do Ano Novo Lunar.

O banco central chinês definiu a taxa referencial do iuan em seu maior nível desde 6 de janeiro, após o índice do dólar contra uma cesta de moedas cair a seu menor nível em três meses.

Analistas dizem que a queda do dólar, assim como as recentes intervenções do banco central chinês, diminuíram os temores de mais depreciação do iuan no curto prazo. Entretanto, a moeda provavelmente continuará pressionada para baixo conforme a economia continua a desacelerar.

Os operadores não estavam seguros sobre o que disparou a desvalorização do dólar, apesar de muitos apontarem para os comentários do presidente do Fed de Nova York, William Dudley, de que as condições financeiras mais apertadas serão levadas em conta na próxima reunião do banco central em março.

A súbita reversão da trajetória do dólar providenciou um tão necessário impulso às abatidas commodities, fazendo o petróleo subir e aliviando a pressão sobre as ações de energia e sobre o apetite por risco.

Porém, os investidores japoneses pareciam menos felizes com o novo fortalecimento do iene frente o dólar, fazendo o índice Nikkei recuar 0,9 por cento.

Às 7:57 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 2,3 por cento. O índice australiano, muito ligado a ações de matérias-primas, saltou 2,1 por cento.

. Em TÓQUIO, o índice Nikkei recuou 0,85 por cento, a 17.044 pontos.   Continuação...