Presidente do BCE diz que é melhor agir mais cedo do que tarde demais à inflação baixa

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016 08:39 BRST
 

FRANKFURT (Reuters) - O risco de agir tarde demais à inflação muito baixa é maior do que o de agir muito cedo, disse nesta quinta-feira o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, sugerindo que mais afrouxamento monetário pode ser necessário.

Adotar uma posição de esperar para ver por causa do choque do preço do petróleo e permitir que a inflação baixa se consolide vão erodir as expectativas de longo prazo e a confiança no banco central, levando a uma pressão de preços persistentemente baixa, disse Draghi em uma conferência no Bundesbank, banco central alemão.

"Se isso ocorrer, vamos precisar de uma política monetária muito mais expansionista para reverter isto", disse Draghi. "Vendo desta perspectiva, os riscos de agir muito tardiamente superam os riscos de agir muito antecipadamente."

O BCE levantou a perspectiva de mais afrouxamento já em março, e os investidores já precificaram um corte da taxa de depósito e possíveis ajustes para o programa de estímulos de 1,5 trilhão de euros.

A meta de inflação do BCE é de pouco menos de 2 por cento, mas o banco não conseguiu atingir a meta por três anos seguidos e é improvável que o consiga nos próximos anos devido aos preços baixos do petróleo, crescimento econômico apático, empréstimos fracos e aumentos salariais apenas modestos na zona do euro.

(Reportagem por Balazs Koranyi, Francesco Canepa e John O'Donnell)