Conab reduz previsão de safra de soja do Brasil para 100,9 mi toneladas

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016 13:38 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) reduziu nesta quinta-feira sua previsão para a safra brasileira de soja 2015/16 para 100,9 milhões de toneladas, ante 102,1 milhões de toneladas na previsão de janeiro, devido principalmente a uma queda nas produtividades em Mato Grosso, Goiás e no Nordeste que foi apenas parcialmente compensada por aumento no plantio no Rio Grande do Sul.

A redução mais significativa ocorreu na previsão para Mato Grosso, principal Estado produtor de grãos do país, onde a Conab cortou a safra em mais de 800 mil toneladas.

Os técnicos da Conab destacaram que a "instabilidade climática observada desde o início do plantio" atrasou a implementação das lavouras. Além disso, alguns produtores que precisariam replantar apostaram no potencial de recuperação da oleaginosa.

"Essas ações combinadas, que tinham promovido um indicativo de redução na produtividade já no levantamento anterior de 2,9 por cento em relação ao ano passado, ampliou-se para 4,2 por cento neste", disse a agência governamental em seu relatório mensal.

No Nordeste a redução de estimativa foi de 445 mil toneladas, enquanto que em Goiás chegou a mais de 200 mil toneladas.

No Maranhão e no Piauí a Conab identificou problemas com falta de chuvas, enquanto em Goiás o prejuízo tem ocorrido devido às chuvas excessivas, que aumenta a incidência de doenças fúngicas como ferrugem e antracnose.

No Rio Grande do Sul, a previsão para a colheita subiu em 500 mil toneladas na comparação com o relatório de janeiro, mas não por ganhos de produtividade e sim por aumento na estimativa de área plantada.

"O aumento ocorre sobre as áreas anteriormente semeadas com milho, áreas de campo nativo e de pastagens", destacou a Conab.

A Conab também reduziu em cerca de 700 mil toneladas a previsão de exportação da soja colhida em 2015/16, para 56,75 milhões de toneladas.   Continuação...

 
Trabalhador caminha em plantação de soja na cidade de Primavera do Leste, em Mato Grosso. 07/02/2013 REUTERS/Paulo Whitaker