Dólar mais fraco dá sustentação a commodities no exterior

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016 13:23 BRST
 

LONDRES (Reuters) - Os preços do ouro e do zinco no mercado internacional subiram para seus valores mais altos em mais de três meses nesta quinta-feira, impulsionados pela queda do dólar, enquanto o petróleo não conseguiu registrar ganhos expressivos como na sessão anterior, em meio a dúvidas sobre a possibilidade de produtores concordarem em cortar a produção.

O dólar afundou para a seu nível mais baixo em três meses contra uma cesta de moedas, dando suporte aos preços de commodities cotadas na moeda norte-americana, ao tornar os produtos mais baratos para os compradores de fora dos Estados Unidos.

Os cotações do dólar eram guiadas por expectativas relacionadas às taxas de juros dos EUA neste ano, o que levou o índice da moeda à sua maior queda diária em mais de dois meses na quarta-feira.

"Agora veem apenas 12 por cento de probabilidade de um aumento da taxa em março, por isso não estou esperando que o preço do ouro caia em breve", disse o analista Bernard Dahdah, da Natixis, acrescentando que espera negociações em torno dos níveis atuais nos próximos dois meses.

O spot do ouro era negociado em torno de 1.150 dólares a onça na quinta-feira, no maior nível desde o final de outubro.

O ouro já ganhou cerca de 8 por cento desde o início deste ano, com a incerteza sobre a saúde da economia global deixando os mercados financeiros voláteis e empurrando os investidores para ativos mais seguros.

O ouro ajudou o índice Thomson Reuters de commodities a subir cerca de 1 por cento nesta quinta-feira, após um ganho de 2,5 por cento na quarta-feira.

O contrato de referência do zinco na London Metal Exchange subiu a um pico de 1.728 dólares por tonelada, mas alto desde o final de outubro.

(Por Eric Onstad)