Usinas do Brasil elevarão produção de açúcar para nível perto de recorde

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016 10:08 BRST
 

NOVA YORK/SÃO PAULO (Reuters) - As usinas do Brasil aumentarão a quantidade de cana-de-açúcar destinada à produção de açúcar na próxima safra 2016/17, o que deve elevar a fabrição do adoçante para volumes quase recordes, apontou uma pesquisa da Reuters.

    Produtores na região produtora do centro-sul vão direcionar 43 por cento de uma safra de cana de mais de 600 milhões de toneladas para o açúcar, de acordo com a previsão mediana de uma sondagem junto a analistas e operadores.

Isso colocaria a produção de açúcar do centro-sul em 33,9 milhões de toneladas em 2016/17, chegando perto da marca histórica de 2013/14, de 34,4 milhões de toneladas.

As usinas destinaram ao menos de 41 por cento da cana para o açúcar na última colheita, de acordo com a mediana.

Pode ser difícil apontar o "mix" da matéria-prima na próxima safra, que vai ser observada de perto, devido às oscilações cambiais e com os preços da energia sob pressão do petróleo, cujos preços estão próximos dos níveis mais baixos em mais de uma década.

"O preço do açúcar está mais interessante que no ano passado, em dólares e certamente em reais", disse o analista Bruno Zaneti, da INTL FCStone, em Campinas (SP).

Ele estimou a parcela de cana dedicada ao açúcar entre 42 e 42,5 por cento.

O preço do açúcar bruto na ICE Futures EUA caiu para o menor nível desde setembro recentemente, com a volatilidade da taxa de câmbio real-dólar alta nas últimas semanas.

    "Sabemos que a safra do Brasil vai ser grande, mas o mix ainda é um alvo em movimento", disse Michael McDougall, diretor de commodities do Société Générale em Nova York.

    Os preços do açúcar devem continuar em recuperação após mínimas de sete anos registradas em 2015, segundo uma pesquisa da Reuters, com déficit global sustentando os preços.[nL2N15J0ZC]

(Por Chris Prentice e Reese Ewing)