Presidente do Goldman Sachs mira corte de custos em meio a preocupações globais

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016 13:43 BRST
 

Por Olivia Oran

(Reuters) - O presidente-executivo do Goldman Sachs sinalizou que o banco dos Estados Unidos poderia cortar custos mais uma vez em meio a um mercado turbulento, queda do preço do petróleo e preocupações sobre o alemão Deutsche Bank que afetaram as ações do setor este ano.

"Nós podemos absolutamente fazer muito mais do lado de custos se nós precisarmos, especialmente agora, quando você tem que entregar um retorno", disse o presidente-executivo Lloyd Blankfein nesta terça-feira enquanto falava em um fórum de serviços financeiros do Credit Suisse em Miami.

O Goldman, assim como seus pares de Wall Street, está lutando contra baixas taxas de juros e regulações mais duras que reduziram os lucros em áreas como renda fixa.

Blankfein disse que o banco já tomou medidas para cortar pessoal, que foi reduzido em 10 por cento em seu negócio de renda fixa desde 2012.O total de funcionários do Goldman aumentou 11 por cento durante aquele período para atender necessidades regulatórias e de compliance.

Cerca de 25 por cento dos empregados do Goldman estão em áreas de baixo custo como Bengaluru, Salt Lake City e Dallas. O Goldman também está buscando desenvolver mais softwares de fonte aberta para reduzir os pagamentos aos fornecedores externos.

((Tradução Redação Rio de Janeiro, 55 21 2223-7132))

REUTERS JS LG