Rio Tinto busca financiamento para projeto na Guiné apesar de baixa contábil

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016 18:50 BRST
 

DAKAR (Reuters) - A mineradora australiana Rio Tinto vai buscar financiamento para seu mega projeto de minério de ferro em Simandou, na Guiné, apesar da baixa contábil do ativo devido aos baixos preços das commodities e as incertezas de financiamento.

A segunda maior mineradora do mundo informou nesta quinta-feira prejuízo líquido de 866 milhões de dólares em 2015, em grande parte pela baixa contábil de 1,1 bilhão de dólares do projeto de Simandou, avaliado em 20 bilhões de dólares, considerado a maior reserva de minério não explorada do mundo.

Mas a Rio Tinto, investidores e conselheiros disseram que isso não impediria uma busca por financiamento do projeto, que poderá trazer grande impacto econômico para a Guiné.

"Este é apenas um ajuste contábil", disse Alan Davies, presidente do projeto Simandou, da Rio Tinto. "A decisão de hoje não tem impacto sobre o calendário do projeto."

Simandou envolve uma mina de minério de ferro na Guiné central, uma ferrovia de 650 quilômetros e um porto de águas profundas na costa atlântica do país do oeste africano. O seu desenvolvimento já envolve uma série de investidores e promotores internacionais.

Em plena produção, prevista para alcançar cerca de 100 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, a Rio disse que o projeto vai gerar cerca de 7,5 bilhões de dólares em receitas, de acordo com um relatório de 2014. Isso acrescentaria 5,6 bilhões de dólares para o PIB da Guiné, disse a companhia.

(Por Edward McAllister; Reportagem adicional de Saliou Samb)