Usiminas busca refinanciamento de R$4 bi, dizem fontes

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016 13:41 BRST
 

Por Tatiana Bautzer e Guillermo Parra-Bernal

SÃO PAULO (Reuters) - A siderúrgica Usiminas está negociando com bancos o refinanciamento de cerca de 4 bilhões de reais em empréstimos com vencimento nos próximos dois anos, enquanto a empresa enfrenta pressões para quitar dívidas, disseram quatro fontes com conhecimento direto do tema nesta sexta-feira.

A Usiminas entrou em contato com Itaú Unibanco, Bradesco, Santander Brasil e Banco do Brasil para buscar um acordo efetivo imediato, disseram as primeiras duas fontes. Os bancos concordariam caso os acionistas se comprometam a injetar 1 bilhão de dólares na Usiminas, acrescentou a terceira fonte.

Mas a disputa entre os controladores Nippon Steel & Sumitomo Metal e Techint dificultou para a Usiminas levantar capital, disseram as fontes. A Usiminas vai esperar a evolução das conversas com os bancos antes de considerar uma proteção contra credores, iniciativa que a empresa pretende evitar mas que foi seriamente considerada pela Nippon Steel, disseram as duas primeiras fontes.

Uma porta-voz da Usiminas não comentou imediatamente a informação. Esforços para entrar em contato com Nippon Steel no Brasil não tiveram sucesso.

Tanto a Techint como a Nippon Steel prometeram aos bancos uma resposta sobre o aumento de capital em 17 de fevereiro, um dia antes da publicação dos resultados do quarto trimestre, disse a terceira fonte.

A agência de classificação de risco Moody's disse no mês passado que o impacto da deterioração do mercado brasileiro nas operações da empresa está tornando cada vez mais difícil para a Usiminas honrar sua dívida.

Até 30 de setembro, a Usiminas tinha dívida bruta de 8,1 bilhões de reais e caixa de 2,3 bilhões de reais.

Santander Brasil não comentou imediatamente. Itaú, Bradesco e Banco do Brasil não comentaram.

As ações da Usiminas reverteram os ganhos de mais cedo e operavam com baixa de 1 por cento às 13:39 na Bovespa.