Novos empréstimos em iuanes da China sobem em janeiro à máxima recorde em alta sazonal

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016 09:08 BRST
 

Por Kevin Cook e Xiaoyi Shao

PEQUIM (Reuters) - Os bancos chineses, munidos de novas cotas de empréstimo, tiveram um recorde de 2,51 trilhões de iuanes (385,4 bilhões de dólares) em novos empréstimos em janeiro, muito mais do que o mercado esperava, sugerindo que Pequim está mantendo a política monetária frouxa para combater a prolongada desaceleração econômica.

Economistas consultados pela Reuters esperavam que os novos empréstimos em iuanes subissem para 1,8 trilhão de iuanes em janeiro, próximo de uma máxima de sete anos, triplicando o número de dezembro de 597,8 bilhões de iuanes.

Analistas atribuíram o salto dos empréstimos ao aumento de injeções do banco central chinês antes dos feriados do Ano Novo Lunar no começo de fevereiro, uma tendência tradicional entre os bancos chineses para antecipar empréstimos no começo do ano e das companhias reduzirem sua exposição a empréstimos em moeda estrangeira.

"Os bancos chineses expandiram seus balanços patrimoniais agressivamente no primeiro mês deste ano, o que implica apoio implícito do governo para combater a desaceleração econômica", disse o economista sênior para mercados emergentes do Commerzbank Asia Zhou Hao.

Analistas também atribuíram a alta dos novos empréstimos a uma maior demanda por hipotecas, conforme os preços das propriedades imobiliárias se recuperam, e medidas do governo para acelerar projetos de infraestrutura para incentivar a atividade.

Enquanto economistas haviam especulado algumas vezes que grandes variações dos dados do crédito na China estavam ligados mais à atividade especulativa, os últimos dados parecem sugerir uma demanda sólida da economia real. Empréstimos de médio e longo prazos para famílias subiram 45 por cento em janeiro em comparação ao mesmo período do ano passado, enquanto esses tipos de empréstimos a empresas saltaram 73 por cento.

(Reportagem adicional por Winni Zhou)