Presidente da MasterCard diz que segue empenhado em joint venture com Itaú Unibanco

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016 13:28 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - MasterCard e Itaú Unibanco seguem empenhados em formar a joint venture em cartões mesmo após a superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) ter recomendado impugnar o negócio, disse nesta terça-feira um executivo da companhia norte-americana.

"Estamos tendo um processo normal de conversas com o regulador, acompanhando audiências públicas", disse à Reuters o presidente da MasterCard Brasil e Cone Sul, João Pedro Paro Neto, após participar de evento na Amcham.

A parceria de 20 anos prevê uma joint venture controlada pela MasterCard para administrar uma nova marca de cartões.

O receio manifestado pelo órgão antitruste em janeiro é de que o negócio crie entraves à concorrência, dado que uniria o maior emissor de cartões, uma das maiores credenciadoras, no caso a Rede, do Itaú Unibanco, e uma das maiores bandeiras.

Em novembro, o Cade já havia pedido dados mais detalhados sobre a transação, com receio de que arranjo crie incentivos que levem a práticas anticoncorrenciais. O prazo legal para a decisão final do órgão é de 240 dias, prorrogáveis por mais 90. O conselheiro Paulo Burnier da Silveira é o relator do caso.

Segundo Paro Neto, MasterCard e Itaú Unibanco não vão desistir do negócio e estão atendendo aos pedidos de informação solicitados pelo Cade.

O executivo da MasterCard negou que o objetivo do negócio seja ter um concorrente direto para a bandeira nacional de cartões Elo, controlada pelos bancos Bradesco e Banco do Brasil.

"O Brasil já tem cerca de 30 marcas de cartões; não haveria problema em ter mais uma".

(Por Aluísio Alves)