Governo conclui licitação para viabilizar hidrovia no rio Tocantins

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016 20:31 BRST
 

Por Lisandra Paraguassu

BRASÍLIA (Reuters) - O governo federal conseguiu concluir nesta quarta-feira a licitação para realização das obras de derrocamento do Pedral do Lourenço, uma formação rochosa situada no rio Tocantins que impede a navegação da hidrovia, e a empresa DTA Engenharia Limitada venceu com um custo 7,15 por cento menor do que o inicial, representando uma economia de 40 milhões de reais.

A licitação para a obra foi lançada pessoalmente pela presidente Dilma Rousseff em março de 2014, mas até agora o governo não havia conseguido deslanchar o projeto. Em outubro do ano passado, foi aberta uma segunda licitação, também sem resultado.

Em entrevista à Reuters, no início deste mês, o ministro da Secretaria dos Portos, Hélder Barbalho, revelou que o governo lançaria na última terça-feira um pregão eletrônico em mais uma tentativa de deslanchar a obra, dessa vez com investimento federal previsto em 600 milhões de reais.

“São 40 quilômetros de pedra que, no período do verão, impedem a navegabilidade do rio Tocantis”, explicou Hélder à época.

O trecho do Pedregal fica entre a Ilha do Bogéa e Santa Terezinha do Tauri, no Pará, e tem 43 quilômetros. Depois da obra, a expectativa é que a hidrovia seja viável nos 12 meses do ano em um trecho de 500 quilômetros entre Marabá e a Vila do Conde, em Barcarena.

Com isso, o escoamento da produção agrícola, pecuária e mineral do Pará, Tocantins, Goiás e Mato Grosso poderá ser feito pelo porto de Vila do Conde, que deve ter sua capacidade operacional ampliada para 20 milhões de toneladas até 2025.