Lucro da AccorHotels sobe em 2015, apesar de fraqueza na França e no Brasil

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016 11:27 BRST
 

Por Dominique Vidalon

PARIS (Reuters) - O maior grupo hoteleiro da Europa, a AccorHotels, informou nesta quinta-feira que seus esforços de reestruturação e a demanda robusta na maioria dos mercados, com exceção da França e do Brasil, ajudaram a empresa a superar as expectativas com um aumento de 3,5 por cento no lucro operacional do ano passado em comparação ao mesmo período do ano anterior.

A AccorHotels, em processo de reorganização iniciado pelo seu presidente-executivo, Sebastien Bazin, em 2013, disse que quer continuar com o aperfeiçoamento significativo de seu desempenho operacional e financeiro este ano, apesar da volatilidade da economia global.

A empresa está cautelosa na França, seu maior mercado, que corresponde por 30 por cento da receita do grupo e onde o lucro operacional caiu 10 por cento ano passado devido a cancelamentos após os ataques em Paris que mataram 130 pessoas em novembro.

No Brasil, onde a Accor é a maior operadora de hotéis com 220 unidades, a companhia também encarou uma prolongada desaceleração econômica, ainda que Bazin tenha dito que o lucro operacional, que recuou 50 por cento ano passado, provavelmente não vai cair ainda mais este ano, com a Olimpíada do Rio de Janeiro ajudando a demanda.

O Brasil é o quarto maior mercado da companhia, depois da França, Alemanha e Grã-Bretanha, respondendo por 7 por cento das vendas do grupo.

A AccorHotels, que tem 14 marcas que vão desde o econômico Ibis até o Sofitel de luxo, disse que seu lucro antes de juros e impostos (Ebit, na sigla em inglês) alcançou 665 milhões de euros em 2015. Analistas consultados pela Thomson Reuters I/B/E/S esperavam Ebit de 659 milhões de euros.