Unidade de fertilizantes da Vale em MG volta operar após vazamento de amônia

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016 12:53 BRST
 

(Reuters) - O problema de uma válvula registrado durante a operação de uma das unidades do Complexo Mineroquímico de Araxá, em Minas Gerais, foi apontado nesta quinta-feira pela Vale Fertilizantes como a causa para o vazamento de amônia ocorrido na véspera e que intoxicou nove funcionários e prestadores de serviço, disseram a empresa e autoridades.

"Todos os empregados que receberam atendimento médico receberam alta ontem", disse a Vale Fertilizantes por meio da assessoria de imprensa.

A emergência foi controlada e o complexo voltou a operar normalmente ainda na quarta-feira. A Vale Fertilizantes informou que "dados sobre perdas de produção ainda não foram analisados".

O sindicato local que reúne trabalhadores da indústria de mineração e fertilizantes (SIMA) afirmou que os problemas na unidade são recorrentes e que há sinais claros de que os processos e equipamentos usados no local estão ultrapassados.

"O vazamento de gás ocorrido ontem foi pontual... A empresa investe em melhorias operacionais e capacitação de sua equipe para que as condições de trabalho sejam sempre as melhores e mais seguras possíveis", argumentou a Vale Fertilizantes, uma divisão da mineradora Vale.

A empresa informou que houve um vazamento de ácido sulfúrico em dezembro, mas que ele foi dentro de uma área de contenção, tendo neutralizado o produto imediatamente, sem afetar pessoas ou o meio ambiente. 

(Por Rodrigo Viga Gaier, no Rio de Janeiro)