Vendas online do Wal-Mart desaceleram e ficam abaixo do desempenho da Amazon.com

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016 20:28 BRST
 

(Reuters) - O Wal-Mart Stores parece ter atingido um obstáculo em sua corrida para impulsionar as vendas online.

As vendas de e-commerce da varejista subiram 8 por cento no quarto trimestre fiscal encerrado em 31 de janeiro, pelo quarto período consecutivo de desaceleração do crescimento. O crescimento foi de 17 por cento no primeiro trimestre para 16 por cento no segundo e 10 por cento no terceiro. Os números excluem o impacto de variações de moedas.

O Wal-Mart, que divulgou resultados trimestrais na quinta-feira, disse que a desaceleração foi devido à fraqueza na China, Grã-Bretanha e Brasil. A fraqueza no Brasil reflete a crise econômica que está impactando todos os varejistas, enquanto as dificuldades na China são, em parte, devido aos ganhos da Alibaba Group Holding.

Os números sugerem que o Wal-Mart está escorregando para trás da líder online Amazon.com, cujas vendas na América do Norte cresceram 24 por cento e as internacionais tiveram alta de 22 por cento no quarto trimestre em termos de moedas constantes.

"É definitivamente uma tendência desafiadora", disse o vice-presidente da empresa de análises de e-commerce Profitero, Keith Anderson. "O aspecto realmente preocupante disto é que o quarto trimestre é o quarto trimestre. É o período de feriados de fim de ano".

Quando questionado sobre a necessidade de preencher a lacuna em relação à Amazon, o chefe de e-commerce do Wal-Mart disse aos jornalistas que estava focado em "construir uma relação com os clientes" através do aplicativo para dispositivos móveis do varejista, serviços como compras de alimentos e em crescer a variedade de produtos. "Os clientes estão reagindo positivamente a isso", ele disse.

(Por Nathan Layne)