BTG assina acordo para vender BSI ao EFG por entre 1,5 bi e 1,6 bi de francos suíços

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 11:50 BRT
 

SÃO PAULO/ZURIQUE (Reuters) - O BTG Pactual informou que assinou acordo definitivo para que o banco sediado na Suíça EFG International adquira o BSI por entre 1,5 bilhão e 1,6 bilhão de francos suíços, sujeito a ajustes, de acordo com fato relevante divulgado nesta segunda-feira.

O BTG disse que deterá participação entre 20 e 30 por cento da entidade combinada e receberá pagamento em caixa de cerca de 1 bilhão de francos suíços. A conclusão do negócio está sujeita a aprovações societárias e regulatórias.

O negócio ocorre apenas cinco meses depois de o BTG ter concluído a aquisição de sua unidade suíça BSI, mas ter precisado levantar caixa após a prisão de seu fundador André Esteves, em novembro. Esteves arquitetou a compra do BSI pelo BTG Pactual no ano passado, dizendo que isso ajudaria o banco de investimentos a crescer além da América Latina.

A Reuters havia antecipado na semana passada que o BTG estava em negociações para combinar o BSI com o EFG International, transação que podia ser anunciada já nesta semana.

De acordo com o BTG, a instituição resultante da operação terá cerca de 171 bilhões de francos suíços em ativos de clientes e 860 gerentes de relacionamento globalmente.

"Os dois bancos oferecem plataformas e conhecimento complementares, com expressiva presença na Europa, Ásia e América do Sul, e juntos constituirão um dos maiores private bankings na Suíça", afirmou o BTG em comunicado.

O EFG disse esperar que a combinação o torne o quinto maior private bank na Suíça, atrás de UBS, Credit Suisse, Julius Baer e Pictet.

O EFG tem sido o número 12 do mercado, no qual muitos esperam ver consolidações conforme bancos menores enfrentam dificuldades sob maior regulação e a erosão das leis de sigilo bancário suíças.

(Por Priscila Jordão, em São Paulo, e Joshua Franklin, em Zurique)

 
Logo do banco BSI em agência de Zurique. 31/03/2015 REUTERS/Arnd Wiegmann