Brasil passará a ser 10º maior cotista do FMI após revisão, diz BC

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 13:22 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Brasil vai subir quatro posições e passará a ser o 10º maior cotista do Fundo Monetário Internacional (FMI) após a integralização do aumento de sua cota, informou o Banco Central nesta segunda-feira.

Com a 14ª Revisão Geral de Cotas do FMI, o processo de integralização será concluído nas próximas semanas e a participação do Brasil chegará a 2,32 por cento, contra 1,78 por cento anteriormente.

Em nota, o BC destacou que o resultado líquido do aumento de cotas não afeta o nível das reservas internacionais do Brasil.

Segundo o FMI, quatro países emergentes --Brasil, Rússia, Índia e China-- estarão pela primeira vez entre os dez maiores cotistas do FMI e, de acordo com o comunicado do BC, esses países terão juntos 14,2 por cento em cotas, ou 13,5 por cento em poder de voto.

(Por Camila Moreira)

 
Logo do FMI em prédio em Washington
 18/4/2013 REUTERS/Yuri Gripas