Kuroda, do BC do Japão, culpa aversão "excessiva" a risco por turbulência no mercado

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 09:52 BRT
 

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - O presidente do banco central do Japão, Haruhiko Kuroda, culpou nesta segunda-feira a aversão "excessiva" aversão ao risco dos investidores pela persistente volatilidade do mercado, e defendeu a decisão do banco de adotar a política de taxa de juros negativa diante das dúvidas sobre sua efetividade.

Kuroda também minimizou as críticas de que a política radical de estímulos colocou em risco desestabilizar o sistema bancário do país ao apertar os retornos dos empréstimos, ressaltando que os lucros dos bancos estiveram em alta mesmo em anos de política monetária bastante frouxa.

"As receitas dos bancos subiram e as falências empresariais caíram devido à recuperação da economia. Os empréstimos bancários também estiveram em alta", disse Kuroda em sessão do Parlamento.

Os empréstimos bancários no Japão aumentaram 2,3 por cento no ano até janeiro, o 52º mês seguido de crescimento.

Kuroda defendeu suas políticas de estímulo como positiva para as famílias com as taxas de hipoteca caindo e o crescimento econômico recebendo um impulso da queda dos custos reais de empréstimo.

Ele disse que fatores externos, como a incerteza sobre a perspectiva da política monetária dos Estados Unidos e as preocupações dos investidores com o setor bancário europeu, também são responsáveis pela recente deterioração do mercado.