Índice acionário europeu sobe com mineradoras mais firmes compensando preocupações com Grã-Bretanha e HSBC

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 15:09 BRT
 

Por Danilo Masoni

MILÃO (Reuters) - O principal índice de ações europeias subiu nesta segunda-feira com as ações de companhias de mineração ajudando a compensar as preocupações com a potencial saída da Grã-Bretanha da União Europeia e uma queda do HSBC.

O índice FTSEurofirst 300 fechou com alta de 1,65 por cento, a 1.306 pontos, mas ainda acumula queda de quase 10 por cento desde o começo do ano devido a preocupações com a desaceleração econômica global.

As ações de mineradores ficaram entre os melhores desempenhos, com Glencore e Anglo American subindo mais de 10 por cento cada, com o preço do cobre atingindo sua máxima de duas semanas.

As ações da Telecom Italia também avançaram após a Vivendi aumentar sua parcela na italiana para 22,8 por cento, fortalecendo sua posição como acionista principal.

Entretanto, as ações do HSBC recuaram 0,9 por cento após o maior banco europeu divulgar um prejuízo antes de impostos inesperado de 858 milhões de dólares no quarto trimestre e prever um ambiente financeiro "mais turbulento" à frente.

Analistas também citaram a incerteza sobre o referendo britânico de 23 de junho, sobre se o país deixará a União Europeia, como golpes a outras ações britânicas, com as ações imobiliárias do país recuando devido a preocupações de que um voto pela saída do país pode impactar a demanda de compradores estrangeiros por imóveis em Londres.

Em LONDRES, o índice Financial Times caiu 1,47 por cento, a 6.037 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 1,98 por cento, a 9.573 pontos.   Continuação...