FGCN repassa ações do BB para credores da Sete Brasil, diz fonte

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 18:24 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Fundo Garantidor da Construção Naval (FGCN) vai repassar recursos, incluindo ações do Banco do Brasil, para credores da empresa de sondas Sete Brasil, como parte do acordo para não execução de dívidas da empresa, disse à Reuters uma fonte com conhecimento do assunto.

Mais cedo, o Banco do Brasil informou que o fundo Caixa FI Garantia Construção Naval transferiu todas as ações do banco que tinha ao FGCN. Segundo informações da BM&FBovespa, o Caixa FI detinha 3,05 por cento do capital do BB, o equivalente a 25,6 milhões de ações do banco.

O FGCN, por sua vez, repassou 43,39 milhões de ações do BB ao Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS), que compõe o grupo de controladores da Sete Brasil, empresa que está em grave dificuldade financeira devido às complicações da Petrobras, sua única cliente.

As ações do BB citadas, juntamente com outros ativos, incluindo dinheiro, serão usados para quitar obrigações com credores, informou o BB, sem citar quais.

O grupo de credores da Sete Brasil inclui Bradesco, Itaú BBA, Santander Brasil, Caixa Econômica Federal e o próprio Banco do Brasil.

Segundo a fonte ouvida pela Reuters, a obrigação diz respeito a parte dos cerca de 18 bilhões de reais emprestados à Sete Brasil.

A Sete Brasil está inadimplente desde o começo do ano passado. Os credores da empresa acertaram recentemente prorrogar até maio o prazo para executar dívidas vencidas, disse a fonte, que pediu para não ser identificada. O repasse de recursos do FGCN para os credores é parte desse acordo.

O FGCN foi criado em 2008 para garantir o risco de operações de crédito para construção de embarcações para o setor naval. O patrimônio da entidade é formado por ativos da União, de estaleiros e de subsidiárias da Sete Brasil.

Na sexta-feira, a Reuters publicou que os acionistas da companhia podem pedir recuperação judicial se a Petrobras não conseguir apresentar um contrato final de leasing em uma semana. A Petrobras teria pedido sete dias para entregar uma proposta para alugar as sondas da Sete Brasil.   Continuação...