Congelamento de produção de petróleo impulsionaria preços em 10 a 15 dólares por barril, diz Venezuela

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016 21:40 BRT
 

CARACAS (Reuters) - Um acordo para congelar a produção de petróleo poderia ajudar a impulsionar os preços entre 10 e 15 dólares por barril em meados do ano, disse o ministro do Petróleo da Venezuela, Eulogio Del Pino, que pediu aos países, de dentro e fora da Opep, a se juntar ao pacto.

A Rússia, maior produtora mundial, a Arábia Saudita, maior produtora da Opep, Catar e Venezuela concordaram na semana passada em congelar a produção de petróleo em níveis de janeiro, se outros países aderirem à iniciativa. O Irã elogiou os esforços, mas não se comprometeu a agir e não está claro se a medida será implementada.

"Isto deve recuperar os preços a um ponto de equilíbrio. Nós estimamos que deve haver uma recuperação em meados do ano de cerca de 10 a 15 dólares", disse Del Pino, que também preside a Petróleos de Venezuela (PDVSA), em entrevista na televisão oficial.

"Não é apropriado que os preços do petróleo voltem acima de 100 dólares porque produz depois este ciclo de quedas."

(Reportagem de Eyanir Chinea e Alexandra Ulmer)