Bovespa recua em sessão com Moody's, mas melhora externa atenua perdas

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016 18:49 BRT
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa teve a segunda queda seguida nesta quarta-feira, após rebaixamento do rating do Brasil pela Moody's, mas a melhora no cenário externo afastou o Ibovespa das mínimas da sessão.

O noticiário corporativo também repercutiu, com WEG desabando 9 por cento após resultado trimestral gerar preocupações sobre as margens da fabricante de motores e componentes elétricos e tintas industriais.

O Ibovespa caiu 1,03 por cento, a 42.084 pontos. Na mínima, caiu 3 por cento. O giro financeiro da sessão somou 4,79 bilhões de reais.

A agência de rating Moody´s reduziu a nota de crédito do Brasil de "Baa3" para "Ba2" e indicou que novos cortes podem vir ao mudar a perspectiva da nota para negativa, citando o ambiente econômico e político desfavorável do país.

"A surpresa não foi a nota, mas que rebaixou em dois degraus. A Moody's estava atrasada em relação às outras agências", disse o gestor Joaquim Kokudai, sócio na JPP Capital.

"Podemos de fato voltar para território 'single B', do qual havíamos saído dez anos ou mais atrás", afirmou o ex-diretor do Banco Central Mario Mesquita, hoje à frente do departamento de economia da Brasil Plural. "Isso é má notícia para os preços dos ativos brasileiros", disse em nota a clientes.

No exterior, Wall Street recuperou-se na esteira da melhora dos preços do petróleo, com ajuda do avanço da Apple, compensando a fraqueza nas ações de bancos. O S&P 500 fechou em alta de 0,44 por cento.

As cotações do petróleo subiram com notícias de carregamentos paralisados no Mar do Norte britânico e com a forte demanda pela gasolina nos EUA ofuscando apreensões sobre alta nos estoques de petróleo.   Continuação...