BB tem lucro líquido 15% menor no 4º tri; inadimplência sobe

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016 11:04 BRT
 

Por Aluisio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - O Banco do Brasil divulgou nesta quinta-feira queda do lucro no quarto trimestre, afetado por baixo crescimento do crédito e maiores provisões para perdas com inadimplência. O banco ainda previu desaceleração do crédito em 2016.

A maior instituição financeira do país em ativos teve lucro líquido de 2,512 bilhões de reais no período, queda de 15,1 por cento sobre um ano antes. Na base ajustada, o lucro foi de 2,648 bilhões de reais no período, queda de 12,3 por cento sobre um ano antes. A previsão média de oito analistas ouvidos pela Reuters apontava para lucro ajustado de 2,509 bilhões de reais.

Um dos fatores que pesaram no resultado foi a expansão fraca da carteira de crédito ampliada, de 6,9 por cento, a 814,8 bilhões de reais. A carteira no país evoluiu apenas 5,9 por cento em 2015, abaixo da previsão do BB, de 7 a 11 por cento.

A carteira do agronegócio foi um destaque negativo, subindo 6,1 por cento, contra expansão prevista de 10 a 14 por cento. Carteiras automotiva e para micro e pequenas empresas tiveram contrações de 9,7 e 8,4 por cento respectivamente. Na outra ponta, crédito pessoal (+21,1 por cento), imobiliário para pessoas (+30,5 por cento) e de governo (+44,6 por cento) foram os líderes de crescimento.

Além disso, o índice de inadimplência, medido pelo saldo de operações vencidas com mais de 90 dias, atingiu 2,38 por cento, acima dos 2,19 por cento do trimestre anterior e dos 2,03 por cento do último trimestre de 2014.

Para 2016, o BB afirmou que espera crescimento da carteira de crédito ampliada de 3 a 6 por cento no Brasil. Para o agronegócio, a expectativa é de alta de 6 a 9 por cento.

Diante do cenário de recessão do país, que pode piorar ainda mais a qualidade da carteira de empréstimos, o BB provisionou 7,33 bilhões de reais para perdas com calotes, um salto de 40,9 por cento na comparação ano a ano. No acumulado de 2015, a provisão para essa linha também ficou acima da faixa prevista.

Com isso, a rentabilidade sobre o patrimônio líquido no trimestre caiu a 11,4 por cento, ante 14,6 por cento do último trimestre do ano anterior. No ano, o índice ficou no piso da faixa estimada de 13 a 16 por cento. A previsão para este ano foi fixada no intervalo de 11 a 14 por cento.   Continuação...

 
Agência do BB no Rio de Janeiro
 15/12/2014 REUTERS/Pilar Olivares