Agroconsult eleva previsão de safra de soja do Brasil a 101,6 mi t

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016 15:27 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - A consultoria Agroconsult elevou nesta quinta-feira sua previsão de colheita de soja no Brasil em 2015/16 para 101,6 milhões de toneladas, ante 99,2 milhões da projeção feita em janeiro, com melhores produtividades em região chave de Mato Grosso, indicaram dados preliminares coletados pela expedição técnica Rally da Safra.

"Na viagem ao médio-norte de Mato Grosso, vimos que há um problema (provocado por problemas climáticos), mas é bem localizado e disperso... No resumo da história, avaliamos que o cenário não era tão ruim quanto pensávamos antes de visitar a região", afirmou à Reuters o sócio-analista da consultoria Marcos Rubin, antecipando a divulgação dos números.

Segundo ele, as previsões iniciais da consultoria sobre as produtividades em Mato Grosso (maior produtor brasileiro) já eram bastante conservadoras e foram agora elevadas, inclusive porque a colheita no oeste do Estado apresenta melhora nesta temporada.

Os dados indicam a confirmação de uma colheita recorde em andamento no Brasil, o segundo produtor mundial após os Estados Unidos. Grande safras na América do Sul estão colaborando para elevar a oferta, o que tem pressionado os preços globais.

A Agroconsult destacou ainda que, em Goiás e Mato Grosso do Sul, as produtividades foram revisadas em função do bom potencial das lavouras.

Por outro lado, há riscos de perdas na região conhecida como Matopiba (Maranhão, Piauí, Tocantis e oeste da Bahia) e no leste de Goiás, onde o calendário de cultivo é mais atrasado e ainda há boa parcela das lavouras em período crítico de desenvolvimento, precisando de chuvas.

"Nossas equipes vão passar no Matopiba nas próximas semanas. Lá está seco, até ontem não tinha chuva. É uma região que preocupa, mas nosso número já incorpora uma certa quebra de safra", disse Rubin.

Já no Rio Grande do Sul, terceiro principal produtor de soja no país, e que também segue um calendário de plantio mais tardio, a perspectiva é de uma boa colheita, certamente sem quebra de produtividades em função de bom regime de chuvas.

  Continuação...